Os gatos podem ter uma gripe ou constipação?

Publicado por
minutos de leitura

E relativamente ao Coronavírus?

À medida que a situação do Coronavírus (COVID-19) continua a evoluir, é importante ir acompanhando com regularidade as recomendações da Organização Mundial de Saúde à medida que novas informações surgem.

Até à data, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) nos EUA não possui relatos de animais que tenham sido identificados com o vírus, e não há evidências de que cães ou outros animais de companhia possam contrair ou transmitir a versão humana do vírus. Para mais informações, consulte o seguinte artigo:

O meu animal de companhia pode ter Coronavírus?

Podemos transmitir uns aos outros?

Se estiver constipado ou com gripe, não se preocupe com a possibilidade de transmitir este vírus ao seu animal de companhia. Segundo a revista Smithsonian, existem casos documentados de tutores que transmitiram o vírus H1N1 a gatos, assim como gatos que transmitiram a humanos; no entanto, são casos muito raros. Em 2009, quando o vírus H1N1 (também conhecido como gripe suína) foi considerado uma epidemia nos Estados Unidos, existia motivos de preocupação porque o H1N1 foi transmitido por animais (por porcos, neste caso) e infetou seres humanos.

A natureza do vírus

Os gatos são capazes de contrair uma gripe, bem como uma infeção respiratória superior causada por um destes dois vírus: Herpesvírus Felino ou Calicivírus Felino. Independentemente da idade, todos os gatos são suscetíveis de contraírem estas doenças, porém os mais vulneráveis são os gatinhos jovens e os gatos geriátricos, uma vez que o seu sistema imunitário não é tão resistente como o de um gato adulto no auge da sua vida.

Segundo o VCA Animal Hospitals, um gato contrai o vírus quando entra em contacto direto com um gato infetado ou pelo contacto direto com partículas virais. A organização afirma ainda que "o vírus é excretado na saliva e nas secreções oculares e nasais de um gato que está infetado". Portanto, é importante manter o seu gato longe de outros gatos que estejam doentes.

De acordo com a Love That Pet, se o seu gato contrair uma gripe ou uma infeção respiratória superior, o vírus pode sobreviver e persistir. "Infelizmente, os gatos que recuperam de uma gripe podem tornar-se portadores do vírus temporariamente ou permanentemente. O que significa que eles podem transmitir o vírus, mesmo que já não pareçam estar doentes". Quando o seu gato estiver com uma gripe, deve mantê-lo sob vigilância para verificar se surgem novamente sinais clínicos.

Se suspeitar que o seu gato está com uma gripe, pode observar os seguintes sinais clínicos:

  • Letargia
  • Tosse
  • Espirros
  • Coriza ou corrimento nasal
  • Febre
  • Perda de apetite e de sede
  • Secreções oculares e nasais
  • Dificuldade respiratória

Deve ligar para o veterinário imediatamente e levar o seu animal de companhia para fazer um check-up.

Tratamento e Prevenção

Vacinar o seu gato e manter as vacinas atualizadas irá ajudar a manter o seu gato saudável e a prevenir doenças. Outro fator-chave é evitar a contaminação por microrganismos: lave bem as mãos com frequência (e peça às outras pessoas que também o façam); higienizar todas as áreas infetadas, como roupa de cama, roupas e toalhas; e evite o contato com qualquer pessoa (e animal) que possa estar doente.

Os animais podem contrair doenças através de outros animais, por isso é importante manter o seu gato saudável separado de outros animais que estejam doentes. Uma das formas mais comuns dos animais transmitirem microrganismos entre si é através do corrimento ocular e/ou auricular e da saliva, pelo que é necessário que cada animal de companhia tenha um comedouro e um bebedouro próprio.

Como referido anteriormente, se suspeitar que o seu animal de companhia está com uma gripe, entre em contato com um veterinário imediatamente. De acordo com o PetMD, "não existe cura para a gripe e o tratamento é sintomático. Os cuidados médicos necessários servem para limpar o corrimento ocular e nasal e manter o animal livre de descargas". Os possíveis tratamentos incluem antibióticos e fluidoterapia para evitar a desidratação. O seu veterinário irá lhe recomendar um plano de tratamento mais pormenorizado.

Durante a recuperação do seu animal de companhia, ele irá precisar de muito amor e atenção, e o seu gato irá retribuir. Esta situação pode ser complicada se também estiver doente, mas deve pensar sempre, que uma vez que ambos estiverem saudáveis, irão poder trocar carinhos.

Contributor Bio

Christine O'Brien

Christine O'Brien

 

Christine O'Brien é escritora, mãe e tutora de dois gatos da raça azul russo. O seu trabalho também é publicado em Care.com, What to Expect, and Fit Pregnancy, onde escreve sobre a sua vida familiar, os seus animais de companhia e a sua gravidez. Siga-a no Instagram e no Twitter @brovelliobrien

 

Produtos Relacionados